quarta-feira, 3 de junho de 2009

A nacionalização do BPN ao serviço das campanhas eleitorais do PS


Não é necessário ser particularmente adepto de teorias da conspiração para se começar a ver claramente qual o objectivo principal visado pelo governo ao decidir da nacionalização do BPN: usá-lo como uma mina inesgotável de factos políticos embaraçosos para figuras gradas passadas e presentes do PSD, que lhe sirva para desviar as atenções do eleitorado das desgraças governativas do PS.
O filão vai dar para todas as campanhas do corrente ano, europeias, autárquicas e legislativas. E vai obviamente sobrar ainda muito para a campanha presidencial de 2011. Uma riqueza incalculável, que só nos custou a todos, até agora, a modesta quantia de 2.550 milhões de euros.
Nada de mais, quando comparado com os enormes benefícios que nos advirão de continuarmos a entregues à elevadíssima competência governativa do PS pelo menos por mais 4 anos, e de substituirmos o detestado e rústico Cavaco Silva pela ímpar figura de fidalgo letrado e progressista do Manuel Alegre. Uma pechincha!
E pensar que se podería ter deixado este tesouro inexplorado nas mãos do Cadilhe, torpe ex-figurão do PSD, emprestando-lhe ainda por cima 425 milhões de euros para tratar do BPN.
Ainda na mesma linha conspirativa:
- o que terá prometido o PS ao Oliveira e Costa, para o converter do mutismo da primeira audição parlamentar à loquacidade da segunda? A seu tempo se perceberá.
- pelo "Sol" de 5 de Junho 09 ficamos a saber que "a evolução das necessidades de financiamento, desde a nacionalização do banco em Novembro, resultou sobretudo da redução em 1,6 mil milhões de euros dos recursos de clientes (...)". Ou seja, a maior parte do dinheiro lá injectado serviu para que uns quantos safassem o deles. Seria bem interessante conhecerem-se os nomes dos maiores clientes que de lá tiraram recursos, e em que montante. Serão todos dignatários do PSD? Não devem ser, pela discrição jornalística sobre este facto.

1 comentário:

Joaquim Gagliardini Graça disse...

Este filão tem muito que se lhe diga como poderá ver na notícia que se segue:

http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1384911