sexta-feira, 24 de abril de 2009

25 de Abril – então e agora, o melhor e o pior.


Então, o melhor: o sentimento de liberdade e de futuro em aberto; o MFA inicial; o primeiro 1º de Maio; o fim da PIDE e da censura, a libertação dos presos políticos; o fim das guerras coloniais; as primeiras eleições livres; Mário Soares; o 25 de Novembro de 1975; Ramalho Eanes.

Então, o pior: o processo de descolonização; o PCP e a extrema esquerda; os militares “revolucionários”; a instabilidade política; a anarquia social; o 11 de Março de 1975; a nacionalização da economia e a “reforma” agrária.

Agora, o melhor: a democracia consolidada; a inclusão na UE e no espaço euro; o sistema de saúde; a segurança social; a redução da pobreza; o nível de vida; a rede viária; as telecomunicações.

Agora, o pior: a política partidarizada e os políticos carreiristas; a promiscuidade entre os interesses económicos e políticos; a corrupção; o peso do Estado; a influência de lobbies e corporações; o modelo económico; os sistemas de justiça e de educação; a degradação dos espaços urbanos e do património; o futuro não perspectivado.

4 comentários:

Tb disse...

está aí tudo não é? mas acho que a maior parte das pessoas prefere falar/assumir só do melhor, então e agora.

akb disse...

pois é, teresa, tal como também está na moda relembrar os bons velhos tempos do salazarismo e ignorar/esquecer o menos bom e o muito mau.

FKB disse...

Não mudamos então assim tanto, ao passarmos da ditadura para a democracia, pelo menos no que às mentalidades diz respeito...o que já por si é desabonatório dos novos tempos, ao permitir-se esta equiparação.

Tb disse...

eu estava a referir-me ao melhor/pior do pós-25 de abril, não ao salazarismo...