terça-feira, 10 de março de 2009

A verdadeiramente falsa profecia



Depois de longos anos soterrados sob os escombros da URSS, enregelados pelo neoliberalismo e fustigados pela globalização, recomeçaram a desabrochar os marxistas, acalentados pelo sol forte da actual crise financeira. Aos quais acorrem os jornalistas, ofegantes de mal contida ansiedade, questionando:
- “É agora, então será agora que chega ao fim o capitalismo?”
E eles, sábios mas prudentes - pois que profeta, aquilo que se pudesse com propriedade chamar profeta, sem que lhe faltassem nenhum dos atributos e marcas distintivos da classe, foi Marx, e deu no que se viu – respondem que “talvez sim... ou por outro lado... enfim...há que ver...ele há várias possibilidades...aguardemos pela evolução da crise...”
Pois apesar de tamanha prudência, cairam num espectacular logro; apesar de já bem conhecida e relatada, fica também aqui registada a história.
Começou a correr nos media, no início deste ano, a seguinte citação, atribuída a Marx, em “O Capital” (1867):

- os detentores do capital incitarão a classe trabalhadora a que compre cada vez mais bens, casas e tecnologia cara, empurrando-os a que contraiam dívidas cada vez mais caras, até que a dívida se torne insuportável. A dívida não paga levará à falência os Bancos, que terão de ser nacionalizados.

Fabulosa previsão!
Jornais e blogs , todos se iluminaram com tão esplendorosa profecia, louvando-a com o maior dos entusiasmos.
E em Espanha, até o novo coordenador da Izquierda Unida a leu numa reunião do seu Conselho Político, tendo-a depois feito publicar no site do partido.
Mas desgraçadamente para todos esses excitados fervores, a citação é apócrifa, tal como já tinha sido exposto neste artigo na "The Atlantic", onde surge numa versão ainda mais elaborada que a acima reproduzida.
Na sua origem suspeita-se que esteja o seguinte texto da publicação satírica "News Mutiny", que tem o muito apropriado lema “Satire for the wise, News for the dumb”.

Enfim, há que criar urgentemente uns cursilhos rápidos de marxismo, que por cá poderão muito adequadamente ser suportados pelas Novas Oportunidades.


2 comentários:

Tb disse...

tive de ir ver o que era apócrifa... (apócrifa? apócrifa?)

akb disse...

e assim surgem os mitos urbanos...
enfim, como dizia não sei quem, marx não era nostradamus.